Como contratar jovem aprendiz?

Com o contrato de jovem aprendiz, a empresa garantirá aos jovens a inclusão no mercado de trabalho, a oportunidade de aprender uma profissão e de colocá-la em prática. Além de cumprir com a lei, a mesma poderá investir nos seus futuros profissionais, atuando como uma empresa socialmente responsável e ainda contribuindo com a renda familiar do aprendiz.

 

O que é o projeto jovem aprendiz?

 

O Jovem Aprendiz é um projeto federal, instituído pela Lei da Aprendizagem (n° 10.097/00). Esse programa é reconhecido como a primeira oportunidade dos jovens para ingressarem no mercado de trabalho.Parte inferior do formulário

De acordo com a CLT, só é permitido entrar no mercado de trabalho a partir dos 16 anos, mas por meio da Lei de Aprendizagem, jovens entre 14 e 24 anos são incentivados a procurar um primeiro emprego, com todos os direitos trabalhistas, sob a condição de prosseguir com os estudos até o termino do ensino médio.

Esse projeto busca gerar benefícios tanto para os jovens quanto para as empresas que o implantam, já que gera mão de obra qualificada e preparação para o desempenho do cargo.

Para participar do programa, o jovem precisa estar inscrito em um curso preparatório de aprendizagem, com duração máxima de dois anos.

O programa proporciona uma formação técnico-profissional, ele oferece uma combinação de aulas teóricas e práticas.

 

Como funciona a lei?

 

A Lei da Aprendizagem determina que empresas de médio e grande porte devem assegurar no mínimo 5% e no máximo 15% das vagas, que exijam formação profissional, devem ser preenchidas por jovens aprendizes.

Microempresas também podem aderir ao programa, mesmo não sendo obrigatório.

Outra determinação da Lei da Aprendizagem é que o empregador conceda 13º salário ao jovem aprendiz, assim como férias coincidentes com as do período escolar.

 

Para acessar a íntegra da lei, clique aqui.

 

Como contratar um jovem aprendiz?

 

A contratação deve ser feita com anotação em Carteira de Trabalho e Previdência Social. O salário é calculado com base no valor hora do salário-mínimo e o expediente deve se limitar entre 4 e 6 horas diárias.

A empresa deve estar inscrita  no programa de aprendizagem, com a orientação de uma instituição que faça parte do Cadastro Nacional de Aprendizagem, como:

 

 

É importante descrever a qualificação da empresa que está contratando e também a do aprendiz e a identificação da instituição que ministrará o curso.

Para a contratação ser validada, é preciso formalizá-la por meio da anotação na CTPS. Devem constar:

 

  • a função, precedida da palavra “aprendiz”;
  • a data de início e término do contrato.

 

O aprendiz deve ser contratado para uma função específica, suas atividades dentro da empresa devem complementar as aulas teóricas fornecidas pela instituição.

É muito importante que a organização prepare o seu ambiente interno para receber esse jovem, conscientizar os funcionários sobre a importância do aprendiz dentro da empresa e como cada um pode contribuir para a sua melhor experiência.

 

Quais os benefícios na contratação do jovem aprendiz?

 

A empresa conta com benefícios fiscais e tributários que incluem:

 

  • pagamento de apenas 2% do FGTS;
  • isenção de multa de rescisão;
  • dispensa de aviso prévio remunerado;
  • isenção de acréscimo na contribuição previdenciária (para empresas enquadradas no Simples).
  • oportunidade de desenvolver um perfil profissional desejado pela empresa;
  • fomento a grandes talentos potenciais;
  • inserção de novas ideias e perspectivas na equipe.

 

Uma grande parte dos jovens que participam do programa está em situação de vulnerabilidade. Dependem de um programa, como esse, para ajudar com a renda familiar e, construírem um futuro. A participação das empresas contribui para sua responsabilidade social.

 

 

Fale com nossa CONSULTORIA

(11) 2344-2420

daep@nurap.org.br